COMO CONHECI MARCOS QUINAN

1000 LIVROS DE MARCOS QUINAN

CAPITAÇÃO DE SÓCIOS Fundação VILLAS-BÔAS

COMO CONHECI MARCOS QUINAN

                                  

             Nazaré Pereira                                                 Marcos Quinan

           Embaixadora da FVB                                        Poeta - Artista Plástico

A nossa Embaixadora na França, artista Amazônica consagrada, Nazaré Pereira, aproveitando o máximo a sua estada em Belém, terra adotada de coração, vindo todo ano de Paris onde hoje é sua morada e tem sua vida profissional, Acreana de nascimento, “Lá do Xapuri” vem matar as saudades de “sua Mãe Morena Lá de Icoaraci” a qual é fonte de inspiração das letras e músicas que encantam qualquer pessoa, de qualquer idade, pois tem balanço, e espalha um halo  realmente de magia de uma atriz que incorpora suas interpretações.

É fácil falar de Nazaré Pereira, apesar de ser uma artista consagrada em Paris e no Brasil, na sua simplicidade, tudo é explicado, por onde anda, desenrolam tapetes para sua passagem. Rolando Boldrin, ficaria sentado com a mão no queixo, escutando horas por horas seus causos, sua trajetória, suas vitórias de uma mulher guerreira.

Como embaixadora dá-nos orgulho, não só pela sua vitoriosa vida profissional de cantora, compositora, em toda a Europa, mas pela grande figura humana que Nazaré Pereira É! Quando foi convidada a inserir-se em nossos projetos sensibilizou-se, não só pela nobreza da causa que norteia a Fundação VILLAS-BÔAS, mas por suas origens Amazônicas e por suas lembranças como Professora formada pelo Instituto de Educação do Pará - IEP, - Sou Piramutaba! Diz até hoje com orgulho. Como dizemos aqui no Brasil foi um gol de placa termos uma Embaixadora para alavancar os projetos ancoras e campanhas de Captação de Sócios para a Fundação VILLAS-BÔAS. E vejam dias antes na TV Senado o show da Nazaré Pereira passou por quatro dias consecutivos, e de pronto ressaltei, pois já era seu admirador: - Que tal convidarmos Nazaré Pereira, pois estamos falando de Amazônia, quem defende mais a Amazônia na Europa é ela Nazaré Pereira, e assim foi feito, seu contágio foi instantâneo. De Paris me liga: - Mano, que honra poder ser uma Embaixadora, e ainda sendo Fundação VILLAS-BÔAS, defendi meus conterrâneos só com a música, agora posso de fato fazer algo por esse povo tão abandonado por todos.

Aqui chegando, logo foi me telefonando marcando encontros, pegando-me pelo braço e pedindo explicações de todo o processo de uma embaixadora e seus requisitos, pois estamos falando de socioambiental, E ai após alguns encontros e explicações exclamou: Há! É assim, é!  E fomos fazer alguns programas de Televisão – e alguns encontros com amigos que podem abraçar a causa.

- Marcos Quinam, é um grande amigo meu, homem letrado, poeta, músico, artista plástico e de teatro, animador cultural e empresário das artes, autor de várias letras de minhas canções, você precisa conhecê-lo, e assim foi feito.

Marcos Quinam, uma pessoa finíssima, de uma receptividade fora do comum, abriu as portas de seu escritório e de seu apartamento, onde trocamos inúmeras idéias sobre o projeto Expedição VILLAS-BÔAS pelo Brasil, e o que mais lhe apaixonou. A biblioteca Kurumim. Mostrou seu blog.: Lado de Dentro (http://ladodedentrobrasil.blogspot.com), loja virtual dedicada à divulgação e comercialização da produção cultural brasileira, incluindo nossa cultura científica. De pronto doou para a Campanha de Captação de Sócios 1.000 livros de sua autoria para serem distribuídos aos sócios que fizerem pontuações conforme rege o regulamento.

Em seu apartamento em uma noite enluarada, nos recebeu para um novo papo e rolaram boas músicas cantadas e encantadas pela nossa embaixadora Nazaré Pereira acompanhada por nada menos compositor e cantor Eudes Fraga, outro gênio e de uma voz incomparável, onde mostrou canções lindíssimas e um projeto que me encantou, cultura para as crianças onde aprende com música. Iremos desdobrar em esforços para a viabilização da inclusão nos nossos projetos.

Só sei o seguinte: A Fundação ganhou muito conhecendo Marcos Quinam, e eu um grande amigo.

Paulo Celso VILLAS-BÔAS
Presidente da FVB e EVB.

Regulamento

REGULAMENTO

ASSOCIADOS E CAPTADORES DE ASSOCIADOS

FUNDAÇÃO VILLAS-BÔAS

PROMOÇÃO PARA PARTICIPAÇÃO NAS ATIVIDADES DA:

EXPEDIÇÃO VILLAS-BÔAS PELO BRASIL

ETAPA NACIONAL 01/2011

TÍTULO I – DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Art. 1º - As atividades em que o associado e os futuros captadores de associados poderão ingressar, na Primeira Fase da Primeira Etapa “ARQUIPÉLAGO DO MARAJÓ” do projeto Expedição VILLAS-BÔAS pelo Brasil 01/2011 é uma promoção da Fundação VILLAS-BÔAS.

Art. 2º - Este regulamento visa estabelecer normas para o desenvolvimento e realização, de forma harmônica e disciplinada, do que irá acontecer no decorrer das viagens em que a Expedição VILLAS-BÔAS atuará no Arquipélago do Marajó no Estado do Pará ao Norte da Republica Federativa do Brasil.

TÍTULO II – DOS PRINCÍPIOS

Art. 3º - A FUNDAÇÃO VILLAS-BÔAS - Nos objetivos de seu estatuto baseia-se nos seguintes princípios:

 

  • I Ø - Da democracia: Assegurar que todos colaboradores o acesso as atividades de acordo com sua área de atuação, ou como simples observador. (Titulo IV)
  • Ia.Ø - Da democracia Ampla Geral e irrestrita: Assegurar que todos os brasileiros, ou qualquer cidadão do mundo possam ter acesso ás atividades qual sejam a área de atuação, o respeito e o direito de produzir sob a observância da Lei, e quando dela faltar, respaldar-se de uma forma harmônica entre o poder e o fazer para o engrandecimento do homem e do país com respeito ao ecossistema.
  • II. Ø - Dar conhecimento e transparência: relativa a todas as atividades em que a Expedição VILLAS-BÔAS pelo Brasil venha a explorar, utilizando-se de uma linguagem simples e objetiva.
  • III. Da educação: para o desenvolvimento de um ecossistema socioambiental em que o homem é o principal responsável pelo meio em que vive, observando a sua cultura, dignidade e saúde.
  • III. aØ- Da educação intelectual: O desenvolvimento de um país onde o respeito pelo ecossistema só ocorrerá com educação ensinada pela família e escola no meio em que vive. Um país sem cultura, sem educação, sempre será um país em constantes turbulências.
  • IV.Ø- Do respeito à cidadania: propiciado pelo entendimento e conscientização de que a plena cidadania é possível para todos em consonância com o meio ambiente.
  • V. Ø- Da humanização: estimulando o associado a tomar conhecimento e a acompanhar todas as ações que os cientistas e expedicionários estiverem executando, salvo por impossibilidade técnica ou de risco à saúde e à segurança ajudando a dar credibilidade nessas ações.

TÍTULO IIIDAS OBSERVAÇÕES ESTATUTÁRIAS DA FUNDAÇÃO VILLAS-BÔAS

 

Do artigo 4° (do estatuto da Fundação VILLAS-BÔAS):

  1. a) promover e participar de ações itinerantes, visando a conservação, recuperação, educação ambiental, otimização do uso sustentado das águas brasileiras e ecossistemas associados, visando garantir a integridade dos processos naturais, o equilíbrio ambiental e o bem estar social;

 

  1. b) promover prioritariamente o desenvolvimento humano nas diversas regiões do país com respeito à natureza;

 

  1. c) perseguir uma política de meio ambiente priorizando a melhoria da qualidade de vida da população brasileira com ênfase nos povos amazônidas e nos povos indígenas, para produção de bens, geração de emprego e renda, com políticas florestais e cerrados;

 

  1. d) contribuir para a erradicação da pobreza;

 

  1. e) promover o desenvolvimento da sociedade em geral e sedimentação da democracia brasileira;

 

  1. f) contribuir para que a criança e o jovem amazônico terminem o ciclo de ensino básico;

 

  1. g) estimular nos ensinos básicos hábitos de leituras e contribuir juntos aos alunos e professores a criação e execução de bibliotecas, estimulando as raízes como folclores, música e esporte;

 

            h) contribuir para a equidade de gênero, dando ênfase às conquistas das mulheres;

 

             i) contribuir para a redução da mortalidade infantil;

 

              j) contribuir para o combate do HIV/AIDS, da malária e outras doenças;

 

             k)  contribuir para a sustentabilidade ambiental;

 

              l) buscar parcerias mundiais para o desenvolvimento da Amazônia;

 

             m) contribuir para o fortalecimento e implementação do Zoneamento Ecológico Econômico estimulando todos Estados a implementar este instrumento de conservação dentro do principio da ordem e espaços para produção;

 

              n) contribuir para a qualificação profissional e geração de trabalho e renda em áreas rurais e urbanas por meio de parcerias na área cientifica, com instituições de pesquisas, universidades, sociedade civil organizadas como federações, sindicatos e associações;

 

              o) estimular as indústrias internacionais dependentes dos recursos naturais nacionais para instalarem-se na região norte do nosso país, firmando parcerias com as indústrias nacionais, captando tecnologia, gerando impostos, renda e empregos, industrializando produtos agregados da nossa riqueza florestal, mineral e hídrica, forçando-as a diminuir a exportação de materiais “in natura”;

 

                p) contribuir para expansão de oportunidades de emprego e renda na Amazônia e no resto do país com respeito às Leis ambientais;

 

                  q) introduzir o aumento de florestas e cerrados no Brasil em áreas alteradas e degradadas;

 

                  r) buscar informações em todas as instituições governamentais e privadas, cruzando estas informações para criar um banco de dados visando o fortalecimento das pesquisas tendo como objetivo, combater as desigualdades sociais inter-regionais;

 

                  s) contribuir para o aproveitamento sustentável dos recursos naturais subsidiando com conhecimentos técnicos e científicos através de intercâmbios nacional e internacional;

 

                    t) fomentar práticas de cooperativismo, associações em regiões com ímpeto de uma desordem e vocação a devastação da floresta, cerrados e caatingas;

 

                    u) contribuir com a sociedade no encaminhamento de propostas legais, para soluções rápidas nas demandas de grilagem em todo território nacional, principalmente na Amazônia Legal, diminuindo a violência no campo junto aos governos municipais, estaduais e federal com a criação de comarcas especificas para estas demandas;

 

                    v) contribuir para o avanço da melhoria da qualidade de vida dos amazônidas e toda a sociedade brasileira, através de planos, programas e projetos de caráter socioambiental da Fundação VILLAS-BÔAS.

 

 

Artigo 5º. (da Fundação VILLAS-BÔAS)

Têm a FUNDAÇÃO VILLAS-BÔAS as seguintes diretrizes necessárias à aplicação dos objetivos:

 

  1. a) Visitar todas as regiões, cidades, colônias, povoados em todos os Estados brasileiros, sendo que em cada etapa, a FUNDAÇÃO VILLAS-BÔAS estará acompanhada de profissionais das áreas cientificas e entidades dos mesmos fins, identificando e mapeando cada povoado, município, com o objetivo de valorizar a cultura brasileira;

           b) buscar parcerias com universidades, centros de pesquisas, enfim, com a sociedade cientifica para formação de uma sociedade mais equilibrada e desenvolvida nas regiões visitadas;

          c) conscientizar a população à conservação da floresta, cerrados e caatingas evidenciando as vocações regionais com responsabilidade, propondo programas de apoio ao desenvolvimento;

          d) promover a divulgação e incentivar o aperfeiçoamento da legislação para uso e proteção das águas, apoiando pesquisas técnicas e científicas, visando a sua recuperação e conservação;

          e) elaborar e executar projetos, obras e ações de despoluição hídrica e atmosférica e seu monitoramento, conscientizando com as Leis do Código Florestal, que às matas ciliares são essenciais ao ecossistema;

           f) colaborar com as atividades agrícolas, açudes e pisciculturas, respeitando e preservando o desenvolvimento de todas as atividades, através de Área de Preservação Permanente (APP);

          g) estimular os proprietários rurais a criarem Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN) e firmar corredores ecológicos dentro de suas propriedades na forma da Lei;

           h) coibir o avanço do desmatamento nas áreas produtivas, mostrando à sociedade a importância da floresta e de sua sustentabilidade;

            i) colaborar para consolidação da infraestrutura amazônica, buscando modelos consolidados em outros países;

            j) recomendar e apoiar ações de responsabilidade social no seio de células produtivas e econômicas;

            k) apoiar e criar programas de incentivos fiscais para o desenvolvimento da Amazônia em todas as regiões do país com reciprocidade à floresta e, a cada ação, efetivar três a dez vezes mais o reflorestamento das áreas alteradas e/ou degradadas com orientações técnicas, através de profissionais de cada área, a fim de fomentar todos os parâmetros legais, consolidando o progresso sem a destruição e miséria no campo;

             l) incentivar e apoiar iniciativas voltadas à certificação de qualidade;

             m) buscar apoio e apoiar o fortalecimento de cadeias produtivas, visando sua organização e competitividade;

             n) identificar oportunidades de investimentos na região amazônica com educação e civismo nacional;

            o) apoiar e incentivar o empresariado, empreendedores e produtores na busca de mercados, priorizando cadeias produtivas;

             p) estimular o empresariado, empreendedores à exploração dos recursos naturais com vocação a regenerar o que for destruído ocasionalmente por acidentes ou criminalmente por elas atribuídas, para que estes, quando isto venha acontecer, mostrem à sociedade o reparo ao meio ambiente com contratações de profissionais nas áreas de geologia, engenharia civil, arquitetura, biólogos, engenheiros florestais, agrícolas e outros quando sua área de atuação for exigida, recompondo tudo que foi afetado, quando for rios, na construção de açudes, procriando as espécies atingidas e devolvendo estas espécies e outras com instruções de centro de pesquisas;

              t) estimular, ainda, o empresariado a recompor as matas ciliares ou florestas com madeiras de lei ou frutífera, ou o que a região mandar com fiscalização do Ministério Público e Ong’s, aplicando a Lei aos proprietários, diretores e técnicos a participar de simpósios e freqüentar centro de pesquisas em universidades e instituições de pesquisas;

             u) colaborar para a redução de barreiras internas e externas à exportação de produtos amazônicos com o apoio de organismo internacionais valorizando cada vez mais os produtos certificados;

              v) buscar retorno compensatório financeiro para a conservação da floresta amazônica;

              x) divulgar o potencial socioeconômico da Amazônia e fortalecer o desenvolvimento agrícola sustentável e competitivo, capacitando seu povo possibilitando visão de agronegócio em todas as regiões amazônicas com responsabilidade socioeconômico e conservação de florestas em áreas particulares;

               z) apoiar o empreendedorismo e o desenvolvimento das micros e pequenas empresas com cursos e formação dos empreendedores;

               a.a) apoiar e criar programas para o desenvolvimento do turismo e ecoturismo na Amazônia, formando modelos de sua atividade e tornando-as legal, mostrando a importância da preservação da biodiversidade, da flora e fauna para o equilíbrio do ecossistema como um todo;

               a.b) incentivar as áreas produtivas, a obediência nos corredores ecológicos para o fortalecimento, não deixando erradicar a população de varias espécies da flora e fauna e assim dando equilíbrio que ajude a controlar as pragas na agricultura, dando mais força no equilíbrio dispersando sementes na formação dos corredores ecológicos;

                a.c) divulgar na mídia nacional e internacional a verdadeira face social, econômica e ambiental da Amazônia, para tal com transparência aos interessados, acompanhar nossos trabalhos via satélite em tempo real;

                a.d) combater qualquer tentativa de engessamento econômico da Amazônia e restrição a sua soberania;

TÍTULO IV – DOS PROJETOS ÂNCORAS DA FUNDAÇÃO VILLAS-BÔAS

Elencamos projetos âncoras como:

 

- SAÚDE RIBEIRINHA: ações como aleitamento materno, combate à mortalidade infantil e ao raquitismo daqueles que sobrevivem pela generosidade da terra e sem o conhecimento da boa e saudável alimentação.

- PREVENÇÃO BUCAL: as doenças bucais são responsáveis por várias doenças sistêmicas, mas fáceis de serem evitadas com medidas simples e efetivas.


- COMBATE A MALÁRIA: doença epidemiológica, cada vez mais forte devido ao avanço do desmatamento, deixando cada vez mais vulneráveis as populações que vivem em condições precárias de habitação e saneamento, por próprio relaxo do homem.


- EDUCAÇÃO SEXUAL: requer orientação sobre sexo seguro, sobre os riscos de uma gravidez na adolescência, implica em planejamento familiar, mas não há como se esquecer da pobreza e da perda de valores familiares que acabam facilitando a prostituição, em especial a infantil e a violência sexual doméstica.

 

- EDUCAÇÃO E CIVISMO: tendo em sua proposta um cuidado prévio que é o da não distinção dos elementos culturais, pois o trabalho deverá se apoiar neles e não ignorá-los, educação e civismo terá suas ações voltadas para o combate ao iletrismo e analfabetismo funcional, abordando as limitações que o iletrado vive nos diversos seguimentos sociais, impedindo sua participação ativa no funcionamento da comunidade, se transformando em obstáculo à sua cidadania.


- VERDE LEGAL: Exploração do extrativismo legal, hortas comunitárias, orientação às cooperativas existentes, criação de novas cooperativas, orientação para obtenção do selo de qualidade, orientação para a comercialização nacional e internacional, Geração de renda para o povo e aumento de arrecadação para os municípios. Qualificação para mais de uma atividade econômica para que as famílias tenham mais opção de renda


- EDUCAÇÃO AMBIENTAL: promover o equilíbrio entre o homem e a natureza através de oficinas de Educação Ambiental.


- ECOSSANEAMENTO: várias ações junto às famílias da Ilha do Marajó como a potabilização da água familiar por desinfecção solar e pirâmide, instalação de banheiros ecológicos nas escolas, casas ribeirinhas, rurais, oficinas de ecossaneamento, conscientização das comunidades quanto à qualidade e conservação  da água, higiene e a relação com a qualidade de vida e proteção ao ambiente da contaminação de excrementos não tratados.

 

- POLO MARITUBA: laboratório de sementes e mudas em uma área de 25.000 m2, a Fundação VILLAS-BÔAS com todos os seus parceiros se concentrará na implantação de um projeto de neutralização de carbono, com o propósito de preservar o meio ambiente e recuperar o equilíbrio ecológico das regiões, sem perder de vista a sustentabilidade econômica que será proporcionada pela implantação da recomposição nativa e frutífera nativa exclusiva da região amazônica. E dando a chance de todo o homem de bem do mundo contribuir com esse projeto ficando sócio da Fundação. O sócio terá uma árvore plantada na floresta Amazônica, tendo o georreferenciamento de sua árvore com o seu nome simbolicamente batizada, saberá também o nome cientifico e popular da árvore plantada e ai dizemos SEU CORAÇÃO BATENDO NA AMAZÔNIA.

 

E o que consideramos o marco de transformação de um povo que se tornou a menina dos olhos da Fundação VILLAS-BÔAS:


-    EDUCAÇÃO E CIVISMO: É na profissão de professores de qual nível for, lá esta o conhecimento e a transformação de um povo, pois sem eles nada muda, mesmo com todos os nossos esforços das ações anteriores. A Fundação VILLAS-BÔAS traz o Combate ao Iletrismo e Analfabetismo, treinamento didático para professoras informais de classes multisseriadas, metodologia adaptada ao cotidiano das comunidades marajoaras  e estímulo a leitura  através da biblioteca Kurumim. Esse projeto deixará nossa marca registrada. O símbolo da Fundação VILLAS-BÔAS estará nas pequenas bibliotecas equipadas com móveis como estantes, escrivaninhas mesa de atendimento e o mais importante 1500 livros novos e usados, com brinquedos didáticos, gibis e outros estímulos de leitura e o despertar ao conhecimento de contar e escrever suas histórias e estórias, poesias, músicas, folclores que serão transformados em livros, pois um país sem cultura sempre será um país em constantes turbulências.

TÍTULO V - DAS RESERVAS DE RESPONSÁBILIDADE

Art. 4º - A Fundação VILLAS-BÔAS terá a isenção de responsabilidades sobre o “agraciado” em qualquer hipótese e, reserva-se o direito de que o contemplado terá que enquadrar-se dentro da hierarquia dos Expedicionários em todas as operações em que possam oferecer risco a sua integridade física e de sobrevivência, às ordens superiores, quando deverão ser observadas, sejam por pesquisadores ou expedicionários.

 

Art. 5º - O “Expedicionário-Sócio-Colaborador” fará uma sinopse de quais são suas verdadeiras intenções em sua participação no projeto, se caso for por finalidades profissionais ou cientificas. Independentemente de sua área de atuação deverá apresentar um currículo sucinto e claro de suas aptidões e estará subordinada aos responsáveis do projeto, não lhe cabendo independência exclusiva no processo, o qual seguirá o Regulamento e o Código de Ética da Fundação VILLAS-BÔAS. Caso for participante deverá estar disponível para as ações e terá que seguir regras diárias impostas pelos coordenadores do projeto. Será enviada correspondência ao seu domicilio com todos os formulários para serem preenchidos destacando-se: - Termo de responsabilidade em caráter irrevogável, da isenção da Fundação VILLAS-BÔAS no desacato as normas estabelecidas neste regulamento ou em cada etapa das ações da Expedição.

 

Art. 6º - O “Expedicionário-Sócio-Colaborador”, não deverá interferir nem opinar nos planos, estratégias, roteiros e metas já anteriormente definidos e consolidados para a Expedição e pelos coordenadores do projeto, observando os regulamentos definidos pela direção geral e operacional, assim seguir a orientação dos expedicionários de campo.

 

Art. 7º - O “Expedicionário-Sócio-Colaborador” assinará termo de que não é alérgico a nenhum inseto, alimento ou medicamento, uma vez que estaremos em áreas de riscos e não tendo condições de prestar serviços de emergência apropriadas, a Fundação VILLAS-BÔAS ficará isenta de toda responsabilidade.

 

Art. 8º - O “Expedicionário-Sócio-Colaborador” deverá anexar carteira de vacinação, em observâncias às campanhas do governo sem exceção.

 

Art. 9º - O “Expedicionário-Sócio-Colaborador” terá que comprovar também uma Declaração de Saúde com nome legível do médico que atestou, acompanhado do carimbo do CRM. Esse atestado deverá constatar que o agraciado esta apto no que se refere saúde física e mental e em condições de estar preparado para participar de atividades diferenciadas do habitual.

 

Art. 10º - A Fundação VILLAS-BÔAS reserva o direito de interromper a qualquer momento a participação do “agraciado” ao não cumprir com as normas comportamentais, apresentar hábitos viciosos ou por oferecer risco a si mesmo ou a outro integrante expedicionário ou pesquisador.

 

Art. 11º - O “Expedicionário-Sócio-Colaborador” assinará termo de voluntário, não cabendo nenhuma indenização por parte da Fundação VILLAS-BÔAS, seja por acompanhamento ou prestação de serviços quando nela integrar, enquadrando-se na Lei 9.608 de 18.02.98. Cabe, entretanto o ressarcimento pelas despesas que comprovadamente resultaram do engajamento à expedição, bem como as despesas pessoais no desempenho das atividades voluntárias. As despesas a serem ressarcidas deverão estar expressamente autorizadas pela Fundação VILLAS-BÔAS considerando o serviço prestado pelo voluntário em seu registro.

 

Art. 12º - O “Expedicionário-Sócio-Colaborador” terá que comprovar que tem contrato de saúde e seguro de vida.

 

Art. 13º - O “Expedicionário-Sócio-Colaborador” estrangeiro terá o mesmo tratamento dos artigos anteriores sendo que terá que estar com todas as vacinas preconizadas pela OMS – Organização Mundial da Saúde - (vacinação internacional). Exemplo se o agraciando for francês: http://www.pasteur.fr/ip/easysite/go/03b-00003g-09r/vaccinations-internationales-medecine-des-voyages/bresil, outras nacionalidades procurar em seu país como vacinar. O “agraciado” deverá ir ao consulado brasileiro de seu país onde o Brasil tiver relações diplomáticas, para preencher os formulários identificando o tipo o destino da viagem.

 

Art. 14º - Fica já expresso que o “Expedicionário-Sócio-Colaborador” não poderá sair da expedição com nenhum material coletado, seja biológicos, da cultura amazônica ou mesmo aqueles que apresentam em forma de imagem, som, ou documentários. Todos eles deverão estar à disposição dos coordenadores do projeto, de acordo com as Leis nacionais vigentes e direitos autorais da Fundação.

 

Art. 15º - Todo o material utilizado nos trabalhos editados ou aqueles apenas captados durante as viagens em nome da Expedição VILLAS-BÔAS serão restritos. A Fundação poderá publicar ou utilizar todo esse material em exposição ou mesmo explorar de outra maneira, sem que caiba nenhuma indenização pelo autor, os créditos autorais serão respeitados.

 

Art. 16º - No termino de cada participação os estrangeiro de acordo com que preconizam as Leis ambientais, fica ciente que poderá ser vistoriado na saída da expedição pela Policia Federal, por medida de segurança.

Art. 17º - As Instituições de Ensino e Pesquisas participarão como parceiras do projeto através de Convênio de Cooperação Técnica, Científica, Econômica e Social ou outros de natureza congênere. Está cooperação se dará através da assinatura de um documento de convênio devidamente formulado entres as partes;

TÍTULO VI – DA ORGANIZAÇÃO DA PARTICIPAÇÃO DO CONCORRENTE

Art. 18º - NA PROMOÇÃO Expedição VILLAS-BÔAS pelo Brasil – Etapa 01/2011 – Arquipélago do Marajó, os participantes terão condições de engajar-se a qualquer tempo, desde que respeitado o quando da realização do início das atividades da Expedição: nos municípios visitados, conforme a classificação descrita abaixo:

 

Parágrafo Único: A Expedição planejada no âmbito do projeto ora em questão, ainda não tem data de saída, e a Fundação reserva o direito, sem contestação do “Expedicionário-Sócio-Colaborador”, para defini-la, Serão discutidas em primeiro lugar o estudo de políticas públicas; o percurso aperfeiçoado independentemente do propagado no portal e a definição por qualificação dos cientistas e pesquisadores que estarão envolvidos nas regiões visitadas.

 

TÍTULO VII – DO ASSOCIADO

 

  • Status 1: - Quando da filiação a Fundação VILLAS-BÔAS: O “Expedicionário-Sócio-Colaborador” receberá a carteirinha de expedicionário colaborador.

 

TÍTULO VII – DOS CAPTADORES DE SÓCIOS: Participantes da Promoção desse regulamento.

 

OBS: Só poderão participar dessa promoção associados da Fundação VILLAS-BÔAS.

 

  • Ø - Status 2: - Associados mensalistas terão a classificação de EXP/JE = Expedicionário Junior Exemplar; Bronze – Prata – Ouro, Diamante.
  • Ø - Status 3: - Associados semestral terão a classificação de EXP/SJ = Expedicionário Super Junior; Bronze – Prata – Ouro, Diamante
  • Ø - Status 4: - Associados anual terão a classificação de EXP/MA = Expedicionário Master; Bronze – Prata – Ouro, Diamante
  • Ø - Status 5: - Mantenedores terão a classificação de EXP/MT = Expedicionário Mantenedores conforme cláusulas Estatutárias.
  • Ø - Status 6: - Associados estrangeiros nível 1- terão a classificação de EXP/ET = Expedicionário Estrangeiros 1 e 2,
  • Ø - Status 7 – Doadores Espontâneos - - terão a classificação de EXP/DE = Doadores Espontâneos. Doadores de recursos anônimos, sem valor específicos.

§1 – O Captador Status 3 ao atingir a classificação Diamante receberá uma bonificação de 10 pontos.

§2 – O Captador do Status 4 ao atingir a classificação Diamante receberá uma bonificação de 20 pontos.

§3 – O Captador Instituição no Status 2, ao atingir a classificação Diamante receberá uma bonificação 15 pontos, no Status 3, ao atingir a classificação Diamante receberá uma bonificação de 30 pontos.

 

TÍTULO XIII - DAS PARTICIPAÇÕES DENTRO DAS PONTUAÇÕES:

 

Art. 19º - O novo sócio que preencher o formulário completo terá uma árvore plantada na floresta ou num parque ambiental. Simbolicamente essa árvore levará o nome do sócio, e saberá onde foi plantada com georreferenciamento, data do plantio, espécie da árvore plantada e acompanhar a evolução do crescimento da sua árvore, por intermédio do nosso portal. Nós DA FVB adotamos o slogan para essa ação de SEU CORAÇÃO BATENDO NA AMAZÔNIA.

 

Art. 20º - O Artigo anterior bem como a tabela abaixo tem como objeto da diretoria da FVB, fazer que os simpatizantes além de sensibilizarem-se com o foco principal que são as ações conforme rege o estatuto, visando às crianças, os cidadãos brasileiros e a educação ambiental nos projetos ancoras da FVB, SAÚDE RIBEIRNHA – EDUCAÇÃO SEXUAL – EDUCAÇÃO E CIVISMO – ECOSSISTEMA – EDUCAÇÃO AMBIETAL - BANCOS DE SEMENTES E MUDAS - VERDE LEGAL, mas também queremos motivar aqueles que de uma forma ou outra estão ajudando na transformação de uma nova consciência de um mundo moderno e podendo até participar de dessas ações.

 

§1 – Cada associado indicado, observando a classificação receberá o seguinte peso de pontuação, conforme segue tabela abaixo:

§2 – A cada R$. 1,00 captado vale 1 ponto.

 

Status

Quant. Sócio

Mensalidades de R$:

Pontos

 

 

Exp/JE1-Bronze

50

10,00

500

Bronze

Exp/JE1-Prata

100

10,00

1.000

Prata

Exp/JE1-Ouro

150

10,00

1.500

Ouro

Exp/JE1- Diamante

200

10,00

2.000

Diamante

Exp/JE2- Brone

20

25,00

500

Bronze

Exp/JE2-Prata

40

25,00

1.000

Prata

Exp/JE2-Ouro

60

25,00

1.500

Ouro

Exp/JE2- Diamante

80

25,00

2.000

Diamante

Exp/JE3-Bronze

10

50,00

500

Bronze

Exp/JE3-Prata

20

50,00

1.000

Prata

Exp/JE3-Ouro

30

50,00

1.500

Ouro

Exp/JE3- Diamante

40

50,00

2.000

Diamante

Exp/DE

Livre

Qualquer Valor

A calcular

Correspondente

 

EXPEDICIÓNARIO SÓCIO COLABORADOR

 

I- Quando obtiver a classificação Exp/JE – Bronze o captador de sócio receberá:

  • Ø Um quite com muda de açaí anão na cuia de cerâmica marajoara personalizado Expedição.
  • Ø Um calendário de mesa com a logo da Expedição..

 

II- Quando obtiver a classificação Exp/JE – Prata o captador de sócio receberá:

  • Ø Uma camiseta de expedicionário.
  • Ø Um boton com a logo da Expedição.
  • Ø Um relógio de mesa com a logo da Expedição.

 

III- Quando obtiver a classificação Exp/JE – Ouro o captador de sócio receberá:

  • Ø Uma rede marajoara.
  • Ø Uma nécessaire com a logo da Expedição.
  • Ø Uma caneta com a logo da Expedição.
  • Ø Uma lanterna com a logo da Expedição.

 

Quando obtiver Diamante o captador de sócio receberá:

  • ØDiploma de Parceiro da Fundação e Expedição VILLAS-BÔAS, assinado pelo seu presidente e vice-presidente.
  • Ø Macacão completo de expedicionário com a logo da Expedição.,
  • Ø Um boné com a logo da Expedição.,
  • Ø Uma mochila com a logo da Expedição.
  • Ø Um canivete multiuso com a logo da Expedição.

§1 – Cada associado indicado, observando a classificação receberá o seguinte peso de pontuação, conforme segue tabela abaixo:

§2 – A cada R$. 1,00 captado vale 1 ponto.

 

Status

Quant. Sócio

Semestralidade de

R$.

Pontos

 

 

Exp/SJ- Bronze

30

100,00

3.000

Bronze

Exp/SJ- Prata

60

100,00

6.000

Prata

Exp/SJ- Ouro

90

100,00

9.000

Ouro

Exp/SJ- Diamante

120

100,00

12.000

1

Exp/SJ- Bronze

20

150,00

3.000

Bronze

Exp/SJ- Prata

40

150,00

6.000

Prata

Exp/SJ- Ouro

60

150,00

9.000

Ouro

Exp/SJ- Diamante

80

150,00

12.000

1

Exp/SJ- Bronze

10

300,00

3.000

Bronze

Exp/SJ- Prata

20

300,00

6.000

Prata

Exp/SJ- Ouro

30

300,00

9.000

Ouro

Exp/SJ- Diamante

40

300,00

12.000

1

Exp/DE

Livre

Qualquer Valor

A calcular

Corrspondente

 

EXPEDICIÓNARIO SÓCIO COLABORADOR

 

I- Quando obtiver a classificação Exp/SJ– Bronze o captador de sócio receberá:

 

  • Ø5 (cinco) CD’s da compositora e cantora Nazaré Pereira, Embaixadora da Fundação VILLAS-BÔAS, uma artista Amazônida consagrada na Europa.
    • Ø Um peça de cerâmica marajoara

 

II- Quando obtiver a classificação Exp/SJ – Prata o captador de sócio receberá:

  • Ø5 (cinco) romances do escritor marajoara Dalcídio Jurandir Ramos Pereira, nascido na cidade de Ponta de Pedras – Ilha do Marajó.
    • Ø Um peça de cerâmica marajoara

 

III- Quando obtiver a classificação Exp/SJ– Ouro o captador de sócio receberá:

  • Ø5 (cinco) livros de poesias da escritora marajoara Adalcinda Magno Camarão Luxardo, nascida na cidade de Muaná – Ilha do Marajó.
    • Ø Um peça de cerâmica marajoara

 

Quando obtiver Diamente o captador de sócio receberá:

  • ØUma cesta de perfumes da “Chamma” essências do Pará, marca reconhecida nacionalmente e internacionalmente;
    • Ø Um peça de cerâmica marajoara.

 

OBS: Caso o contemplado ultrapassar os prêmios do Exp/EJ, o “Expedicionário-Sócio-Colaborador” receberá todos os prêmios da lista anterior.

 

§1 – Cada associado indicado, observando a classificação receberá o seguinte peso de pontuação, conforme segue tabela abaixo:

§2 – A cada R$. 1,00 captado vale 1 ponto.

 

Status

Quant. Sócio

Anuidade de R$.

Pontos

 

 

Exp/MA-Bronze

30

200,00

6.000

Bronze

Exp/MA-Prata

60

200,00

12.000

Prata

Exp/MA-Ouro

90

200,00

18.000

Ouro

Exp/MA- Diamante

120

200,00

24.000

1

Exp/MA-Bronze

20

300,00

6.000

Bronze

Exp/MA-Prata

40

300,00

12.000

Prata

Exp/MA-Ouro

60

300,00

18.000

Ouro

Exp/MA- Diamante

80

300,00

24.000

1

Exp/MA-Bronze

12

500,00

6.000

Bronze

Exp/MA-Prata

24

500,00

12.000

Prata

Exp/MA-Ouro

36

500,00

18.000

Ouro

Exp/MA- Diamante

48

500,00

24.000

1

Exp/DE – 1

Livre

Quqlquer Valor

A Calcular

Correspondente

 

 

EXPEDICIÓNARIO SÓCIO COLABORADOR

 

I- Quando obtiver a classificação Exp/MA– Bronze o captador de sócio receberá:

  • Ø 1(um) Relógio de pulso com a logo da Expedição.
  • Ø 1(uma) bio-jóia - temática amazônica.
    • Ø Um peça de cerâmica marajoara

 

II- Quando obtiver a classificação Exp/MA – Prata o captador de sócio receberá:

  • Ø 1(uma) Barraca para 2 pessoas
  • Ø 1(uma) bio-jóia - temática amazônica.
    • Ø Um peça de cerâmica marajoara

 

III- Quando obtiver a classificação Exp/MA– Ouro o captador de sócio receberá:

  • Ø 1(um) saco de dormir 
  • Ø 1(uma) bio-jóia - temática amazônica.
    • Ø Um peça de cerâmica marajoara

 

Quando obtiver 1 (uma) Diamante o captador de sócio receberá:

  • Ø 1(um) Moleton (Blusa e Calça) (Usado para dormir e como roupa reserva) 
  • Ø 1(uma) bio-jóia - temática amazônica.
    • Ø 1(um) jogo de feijoada com 43 peças cerâmica marajoara.

 

OBS: Caso o contemplado ultrapassar os prêmios do Exp/EJ, o “Expedicionário-Sócio-Colaborador” receberá todos os prêmios da lista anterior.

 

II- Quando obtiver 2 (dois) diamantes o captador de sócio receberá:

 

  • Ø Uma passagem área ida e volta do local em que reside para Belém, Ilha do Marajó nos municípios de Jhoannes, Salvaterra e Soure, num período de uma semana, transporte, hospedagem e translado e montaria em búfalos, está garantida pela Fundação.

 

III - Quando obtiver 3 (três) diamantes o sócio captador receberá:

  • Ø Participação na Expedição por um período de um mês com tudo pago. Ex: Se o contemplado estiver no interior do Rio Grande do Sul, sua ida e volta, está garantida pela Fundação.

 

INSTITUIÇÕES CONVENIADAS

VI - As Instituições Captadoras receberão os mesmos benefícios citados nos itens de “I a IV” do Expedicionário Sócio Captador;

 

V - Quando a Instituição Conveniada obtiver 3(três) diamantes receberá:

  • Ø Participação na Expedição pelo período de um mês com tudo pago, com direito a premiar três professores e dois alunos escolhidos pela Instituição, conforme critérios adotados pela Instituição. Ex: Se a Instituição for do interior do Estado do Rio de Janeiro, sua ida e volta, está garantida pela Fundação.

 

 

§1 – Todo expedicionário premiado receberá um diploma de participação de suas atividades no projeto..

 

Parágrafo Único: Além da participação receberá um CD com as imagens filmadas da real e interação com os expedicionários e pesquisadores.

 

TÍTULO IX – DOS PRÊMIOS

 

Art. 19º - DAS PONTUAÇÕES: A participação dos associados captadores de sócios se dará por meio de inscrições efetivadas pela internet no Portal da Expedição VILLAS-BÔAS (www.expedicaovillasboas.com.br) “link SEJA UM ASSOCIADO.”.

§1 - O associado captador de sócio não poderá receber dinheiro ou usar a imagem da fundação para captação de associados.

§2 - O assoc   iado difundira a captação de associado pelo único meio de adesão que é no Portal da Expedição VILLAS-BÔAS pelo Brasil, e pedirá que seja colocado seu nome no quadro de indicação do sócio (padrinho): INSCRIÇÃO do ASSOCIADO, que pela classificação do sócio da tabela acima será contabilizado as pontuações e passará, assim, o associado captado a ser seu afilhado.

§3 - O associado captado com status Exp/JE; JE e JE em suas subdivisão (bronze/prata/ouro) permanecendo colaborador adimplente a cada 3 (três) meses, terá sua pontuação validada; caso haja desistência sem completar de 3 (três), não completando esse período a pontuação será excluída automaticamente. Após essa fase trimestral, o sócio captador receberá as pontuações anuais se os sócios captados não desincompatibilizarem do quadro associativo antes de completarem 1 (ano) e assim sucessivamente. Os prêmios são acumulativos.

§4 - O doador espontâneo poderá se quiser colocar o nome do seu padrinho e terá que preencher a ficha completa para poder ter SEU CORAÇÃO BATENDO NA AMAZÔNIA.

§5 - Exp/DE - As empresas que porventura entrarem como parceira como Mantenedores conforme rege o estatuto deverá entrar em contato com a Fundação VILLAS-BÔAS, para assinatura de convênio, onde poderão doar dinheiro direto para Fundação, ou doarem materiais, equipamentos ou veículos, que serão valorados transformados em dinheiro onde o captador receberá sua pontuação, dependendo da expressão da parceria o captador também fará um contratado com a Fundação a definir.

§6 – Para o sócio estrangeiro não serão validos as alíneas “b”, “c” e “d” do artigo 18°, somente será validada a alínea “e”, com uma ressalva que ele terá que pontuar 12.000 pontos, equivalendo a 3 estrelas, partindo do aeroporto no território nacional mais próximo da expedição, correndo daí as despesas por conta da Fundação VILLAS-BÔAS. Para que a Fundação pague ida e volta a partir de sua origem o captador estrangeiro terá que efetuar 15.000 pontos.

§7 – Os sócios franceses obrigatoriamente receberão todas as coordenadas da nossa Fundação francesa “Enfants Amazonie” e estarão sujeitos as suas regras.

 

§8 – Para que o “Expedicionário-Sócio-Colaborador”, seja contemplado com diamante o mesmo terá que perfazer um total de 200 pontos, independentemente da forma que captar o associado, o qual escolherá a forma de colaboração. (mensal/semestral ou anual) na coluna equivalência por ponto x R$. 1 ponto vale R$. 1,00, a somatória independentemente da forma escolhida ao final deverá alcançar 200 pontos.

 

§9 – O sócio captador poderá acompanhar suas pontuações no próprio portal do sub-link: Pontuações, onde mensalmente estará sendo atualizado.

TÍTULO X – DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 21º - Os casos omissos no presente regulamento serão solucionados pela Diretoria Executiva da Fundação VILLAS-BÔAS.

Art. 22º - A Diretoria Executiva expedirá outros documentos, se necessários, à complementação deste Regulamento Geral.

 

Art. 23º - Fica eleito o Fórum da comarca de Belém do Pará, para dirimir quaisquer contra argumentação desse regulamento.