CAPTADORES DE RECURSOS PARA PROJETOS SOCIAIS

Compartilhe...

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

CAPTADORES DE RECURSOS PARA PROJETOS SOCIAIS

DOAÇÕES

- Fazer o bem sem olhar a quem.

- Interesses políticos e econômicos de determinados países financiando ONGs, dando a elas o título de boazinhas para a simpatia de muitos voluntários ativistas no mundo.

- Povos massacrados em nome do avanço econômico, em nome da fome mundial.

- A necessidade de investimentos para a melhoria dos países para o crescimento das regiões sem que o meio ambiente e os povos mais necessitados sejam massacrados.

- As indústrias de fundações e ONGs, para captação de recursos sem que os recursos cheguem aos destinos da captação de recursos.

- O papel dos Economistas e outros profissionais na Captação de Recursos.

Como fazer com que projetos socioambientais dêem realmente sustentabilidade ambiental e possam sim, sensibilizar empresas e instituições financiadoras, e mesmo o governo, em aprovar e investir em projetos viáveis.

A Diretoria do Conselho Regional de Economia do Pará- CORECON, aí falo do nome de seu dinâmico Presidente Eduardo Costa, preocupado com discussões de relevantes temas para o desenvolvimento do Estado do Pará e da região Amazônica não esquecendo o social, formou o primeiro Curso “Elaboração, Análise e Avaliação de  Projetos Sociais e Captação de Recursos”. Ministrado por uma profissional que é conhecedora do tema, a Professora Economista MSC. Mônica de N. C. Ferreira Nascimento. É de se destacar que, hoje, o CORECON tem colocado sua casa de portas abertas com atividades como: palestras, debates, não só com os economistas, mas com outros profissionais e segmentos como nossa Fundação a participarem dessas discussões.

IMG_7192

Prof. Eduardo Costa - Presidente do CORECON - Profa. MSC. Mônica Nascimento

Os concluintes desse primeiro curso saíram tão motivados, que fizeram um consórcio de rede para interagirem e colocarem em prática seus aprimoramentos profissionais para disponibilizar a outras instituições, prefeituras, governos e fundações e ONGs seus préstimos com alto desempenho num campo tão promissor como Captador de Recursos.

Colocamos os projetos pilotos com o nome dos participantes das equipes.

Primeiro, fizemos uma visita ao assentamento Abril Vermelho, localizado  na cidade de Santa Bárbara do Pará. Projeto investigativo.

Viagem ao Assentamento Abril Vermelho - Santa Barbara.- Pa.

Cursistas fazendo visita de reconhecimento e pesquisas.

Ao  final do curso as equipes apresentaram seus projetos em vários segmentos para serem avaliados e receberem seus certificados de conclusão do curso, que disponibilizamos aos simpatizantes da Fundação VILLAS-BÔAS.

Equipe_Evoluo

Equipe Evolução: Gracyette Aguiar, Kátia Vaz, Nélio Bordalo Filho, Paulo Sérgio Salles, Paulo Villas Bôas, Roberta Belo, Thalles Belo, com a professora Mônica Nascimento

Proposta de projeto: Capacitação para Jovens no bairro da Pedreira: Uma proposta de (re) inserção no mercado de trabalho. Tem como objetivo a criação de um espaço de capacitação breve de jovens, a fim de facilitar a (re) inserção no mercado de trabalho e geração de renda.

O público alvo será o jovem na faixa etária entre 15 a 24 anos, que se encontra em situação de risco social no bairro da Pedreira, em Belém-PA, oriundo de família com renda mensal de até dois salários mínimos.

VALOR TOTAL DO PROJETO: R$ 298.439,00

Prazo de implantação: 3 meses

Prazo de retorno: 6 meses

Equipe_Filhos_do_ura

Equipe Creche Filhos do Aurá: Antonio Sérgio P. dos Santos, Edivaldo Souza, Maria Luiza F. Cruz Rabelo, Jorge Luiz Durans de Almeida, Normando Pantoja Queiroz, Paulo Rogério C. Lobato, com a Profa. Mônica Nascimento

Proposta do projeto: O Projeto de implantação da Creche Pré-Escolar será instalado em uma área de 400m², localizada na comunidade Carlos Mariguela, no Bairro do Aurá, no município de Ananindeua/PA, próximo ao conhecido lixão do Aurá.

O objetivo é garantir o acesso ao ensino pré-escolar, por meio da implantação da Creche-Escola Filhos do Aurá, para atendimento de 100 (cem) crianças, na faixa etária de 2 (dois) a 6 (seis)  anos, bem como assistir a seus familiares, jovens e adultos, em situação de risco social, moradores da comunidade  Carlos Mariguela, no bairro do Aurá, no Município de Ananindeua/PA.

Prazo de implantação: 12 meses

Prazo de retorno: 24 meses.

Investimentos Fixos

Total: R$31.800,00

Custos Fixos (mensal)

Total: R$24.455,00

Custos Variáveis

Total: R$3.100,00

Equipe_Veja_Bem

Equipe Veja Bem: André Luiz Mello Amarante, Laércio Sarubi Batista, Leonardo Levy Ferreira dos Santos, Manoel de Jesus Monteiro Brito, Valdenor Monteiro Brito, Udson Pacheco de Souza, Walter Pinheiro Pereira, com a Profa. Mônica Nascimento

Proposta do projeto: Fomentar o acesso das crianças e adolescentes a práticas esportivas e culturais, gerando uma nova cultura e perspectiva de vida, tendo como instrumento fundamental a arte da capoeira para retirada de crianças e adolescentes de situações de risco no bairro do Jurunas, em especial no entorno do Centro Comunitário “Dos Moradores da Timbiras e Adjacências”.

Serão levados em consideração três critérios para seleção dos alunos participantes: 1º - Idade: Só poderão participar do projeto crianças e adolescentes na faixa etária de 06 a 17 Anos. 2º - Matrícula Escolar: Só poderão participar do projeto crianças e adolescentes que estejam regularmente matriculados. 3º - Renda: Terão preferência na participação do projeto as crianças e adolescentes que possuírem a menor renda familiar.

Implantação: 1 mês

Prazo do projeto: 3 anos

Total para 3 anos: R$. 171.189,00

Equipe_Pindoval

Equipe Pindoval: Erick Costa, Geovana Sidônio, Marcilio Matos, Marta Takis, Rui Galvarino, Saulo Cavalcante, com a profa. Mônica Nascimento

Proposta do projeto: Devido ao baixo desenvolvimento econômico na comunidade rural de Pindoval faz-se necessário a elaboração de um projeto social de agricultura familiar de diversificação da produção e dinamização da comercialização, com o fim de promover o bem estar econômico e social da comunidade.

O projeto a principio procurava atender a toda comunidade, aproximadamente 50 famílias, através de uma abordagem às lideranças comunitárias da região, mas apenas 30 famílias aderiram ao projeto.

A equipe de abordagem à comunidade foi composta por Assistente Social, Psicólogo, Ambientalista, Agrônomo e Projetista.

Implantação do projeto: 3 meses

Prazo do projeto: 5 anos.

Equipe_Amor_por_Belm

Equipe Amor por Belém: Jardiel Alves, Jairlina Souza Danasceno, Maria da Conceição Paiva, Rita Ferreira, com a Profa. Mônica Nascimento

O objetivo do projeto é a redução da quantidade de lixo, da poluição visual e do trânsito confuso no entorno do Shopping Castanheira.

O projeto é auxiliar e contribuir para a formulação de políticas públicas sobre gestão ambiental, dentro do conceito de sustentabilidade, através de quatro vertentes de trabalho: Reestruturação Comercial, Conscientização Ambiental, Preservação dos Equipamentos Públicos, Participação dos Gestores Municipais.

Prazo do projeto: 1 ano

Total do projeto: R$ 100.000,00

Equipe_Recomeo_de_Tudo

Equipe Recomeço de Tudo: Ana Cleide Teles, Emília Synara Mendes, Jocilene Silva, Leila Silva, Rosilene Lima, Rosangela Santos com a Profa. Mônica Nascimento

Objetivo do Projeto: Constituir um programa de escola sustentável; Facilitar o acesso escolar com a construção da escola; Fortalecer a diminuição da evasão escolar por meio de atividades, apoiada nos conteúdos trabalhados em sala de aula de acordo com a realidade do assentamento Abril Vermelho; Qualificar os alunos por meio de oficinas sustentáveis voltadas para atividades desenvolvidas no assentamento; Elevar o nível de escolaridade da população local;

Implantação de uma escola sustentável da alfabetização ao Fundamental I no assentamento Abril Vermelho, visando atender a uma demanda de aproximadamente 370 famílias.

Implantação do projeto: 3 meses

Prazo do projeto: 2 anos.

Quando temos propostas e objetivos e fazemos isso a tempo, colocamos à prova a captação de recursos para suas realizações e conseguimos  parceiros. Para isso, precisamos de ética e acima de tudo, que as propostas sejam feitas não por acaso e sim por missão, e que as pessoas envolvidas tenham respeito com os valores dos próximos. Acreditar é o princípio, em que o profissionalismo está acima de tudo. Nesse processo, a arrogância não tem espaço aos que querem fazer o bem e muito menos a mudanças de comportamento da sociedade no tripé: O homem, a natureza e a economia.

Para tal, deve-se pensar qual a política e seus objetivos em relação aos financiadores, como serão geridos os recursos e que tipo de prestações de contas dos recursos doados deve ser feita. Sempre a satisfação do dinheiro aportado é apresentada à prestação de contas com o doador, da mesma forma que para os membros da fundação.

A síndrome do dinheiro sujo sempre será uma preocupação das organizações sem fins lucrativos, porque não concordam como o dinheiro foi obtido. O captador deve procurar descobrir de onde veio o capital da empresa, do pequeno ou grande doador em potencial e se está dentro dos parâmetros éticos da organização.

Identificam-se como grande potencial de captação de recursos, a pesquisa de doadores potenciais, liderança e justificativa.

Vemos doadores potenciais, não só o financeiro, mas o voluntariado são identificados os potenciais de tornarem-se apoiadores de um trabalho que tem seus objetivos específicos, para daí trabalharem com potencias de pessoas ou instituições que possam financiar as organizações sem fins lucrativos.

Liderança se refere ao compromisso desses potenciais doadores voluntariados e que detêm papéis fundamentares dentro das organizações e sua capacidade de conseguir recursos dos vários setores de sua comunidade.

E por último a Justificativa, porque esses voluntários estão atrás de captação de recursos e arrecadando dinheiro. A necessidade das organizações em manterem campanhas resultantes de sua história, dando visibilidade e credibilidade que a organização precisa conservar para os futuros investidores.

Credibilidade se faz acatando todas as leis federais, estaduais e municipais, aplicáveis ao exercício da profissão, cuidando para que não haja, em nenhuma etapa de seu trabalho, qualquer ato ilícito ou de improbidade das partes envolvidas e por final o comprometimento com as organizações com respeito às hierarquias constituídas.

 

O captador deve receber pelo seu trabalho o percentual preestabelecido e compactuado com as organizações. Sempre compactuados em contratos, dando assim sigilo absoluto às informações dos doadores e respeitar o que foi acordado, de que não deverão ser transferidas para terceiros nem subtraídas, e assim não deverão ser cedidas para outras organizações.

O captador não deverá, por interesses do doador, mudar os projetos ou missões da organização em que trabalhe.

Existem em órgãos os direitos do doador e assim devem-se respeitá-los.

O captador de recursos, seja funcionário ou voluntário, deve estar comprometido com o progresso das condições de sustentabilidade da organização.

DOAÇÕES

A intenção dessa matéria é saber se você realmente quer modificar esse país, se você se horroriza com as mazelas da sociedade, do seu vizinho, do seu bairro, da sua cidade, de regiões, Estado ou mesmo do nosso país.

No nosso portal está a nossa missão principal, que são os projetos na Ilha do Marajó, é mostrar para o nosso país que podemos mudar o comportamento de nossos irmãos numa região com o menor IDH do Estado do Pará. Drogas, pedofilia, tráficos de seres humanos, ratos dos rios marajoaras (roubos e ataques em embarcações), falta de cultura, educação, saúde e um sem número de problemas que podemos sim reverter e reduzir todos os índices de problema, pois esses problemas não são nossos, é seu também.

Os projetos acima são realidades pesquisadas, elaboradas por profissionais multidisciplinares, na sua maioria economistas, e que desejam implementar seus projetos.

Você pode ajudar. Você deve ajudar. Como?

No sistema do Portal da Fundação VILLAS-BÔAS, pag seguro, ou depósito direto na conta da Fundação você faz a sua doação.

Envie um e-mail qual o projeto que você quer ajudar. Pronto.

Se você é um empresário e quer que sua empresa tenha uma projeção para os seus funcionários, clientes de responsabilidade socioambiental, entre em contato conosco, faça um contrato de mantenedor e tenha o selo da Fundação que a sua empresa está mudando essa realidade, pois hoje ninguém pode ficar de fora desse processo.

Seja um motivador nessa campanha, caso queira ser um voluntário da FVB, escreva para nós e seja uma das peças para fazermos multiplicadores e realizarmos todos os nossos projetos.

Aguardamos seu gesto de cidadania, de brasilidade, de falar eu quero mudar e entender o porquê de não podemos ficar de braços cruzados esperando que tudo dependa do governo. Podemos cobrá-lo de outra forma, só o despertar da sociedade debatendo e participando dos temas polêmicos é que os legisladores e executivos darão outro rumo para essa nação.

Você é muito importante para FVB.

Muito obrigado.

Paulo_Villas_Boas

Paulo VILLAS-BÔAS

Presidente da Fundação e Expedição VILLAS-BÔAS pelo Brasil.

Logo_Fundao_no_rodap

Compartilhe...

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn