A Hidrocidadania e os resíduos sólidos.

A Hidrocidadania

                           e os resíduos sólidos.

Tudo é solido como o meu amor

                                                                                                                                                              Guacira quero água pra beber

como a luz do teu olhar

A Pedagogia da Hidrocidadania propõem que a criação e a arte estão presentes naquilo que nós consumimos, e descartamos como lixo ou resíduos. Produzindo um tipo de “arte” num outro sentido que lamentavelmente esgota a natureza, quebra o equilíbrio ambiental prejudica a saúde, e a vida de todos os seres.

Devemos ressaltar a pratica educacional através da água, para uma mudança cultural em prol da biodiversidade (HidroEducAção). Estamos dentro de duas margens temporais, o passado com os pés fincados na trasitorialiedade do presente, com o impulso dos passos projetando-se no futuro imaginado. Estamos presos – em um pretérito do presente do futuro indicativo.

As agruras das águas, para manter a biologia do planeta ativa, de forma fina feroz, e equilibrada, esta sendo posta a prova pelo único animal que teima a não se adequar, a mecânica da natureza.

Como um motorista, que evoca sua prepotência em relação direta a potencia do motor. O direito meta individual, e meta coletivo deve ser evocado, dado a dependência que temos das abelhas, dos pássaros e das arvores. É muito provalmente a gente não enxergue um rio, por causa da água. Sendo assim a água como caldo amniótico, é base passada de sustentação da vida no presente projetamos de forma metódica sua mudança.

Só que uma mudança danosa. Olhar para o futuro é sego e incerto, da forma que olhamos e estamos, somos fruto de um passado destrutivo. A razão só da uma justificativa para o animal usar sua musculatura, no seu instinto mais profundo e ancestral. A emoção perdeu para a razão, a barbárie só se justifica pela voracidade que o animal tem em sobreviver enquanto espécie.

A sofisticação nos leva para uma racionalidade excludente, as classes sociais e os métodos que as criaram. É um modelo arremedado das castas indiana. Sem as proibições sócio-religiosas, aqui é socioeconômica, com estímulos ao consumo e a mudar de classe. Como evitar o conflito se o que vale é a empresa e o individuo?

Relegamos sua importância e relevância no dia-a-dia do planeta, de todos e tudo que nele se encontra. É inquestionável a urgência de utiliza - lá em todos os seguimentos, e mecanismos de ensino torna-se latente a defesa da cultura através da água em prol da biodiversidade. É imprescindível a defesa da Hidrocidadania.

O sistema e suas partes integradas sempre funcionaram como uma grande maquina. Que ao longo dos tempos foi se sofisticando para isso tem e utiliza um exercito que coloca toda sua força criativa ao seu dispor, e parte deste exercito fica na reserva para que nunca lhe falte mão de obra. Desde o nível mais baixo até o que tira o grão de poeira de perto de uma maquina de ultima geração.

Foi à parte mais complicada da preservação foi e é o resto de mão de obra. O que fazer com quem depois de usado não gera renda não tem valor Econômico agregado? O corpo social se move como um zumbi para fazer a máquina funcionar como uma moto continuo. O problema é que o ser humano se torna um produto do meio e como trabalhador tem sua vida útil e mesmo assim não pode ser eliminado vira estorvo social.

Segundo a nossa concepção nem para adubo serve. O que fazer?

Oras não serve mais para nada então quase nada terás a não ser migalhas que leva o nome de aposentadoria. E vira um resíduo nada solido.

Não existe forma de se falar do transporte hídrico que é uma das partes mais afetada quando se fala de saúde não tem jeito é a água e o ar este leva sempre micro gotas à respiração fica complicada quando tem seca no ar.

Exemplo: a cidade onde nasceu a Hidrocidadania Franco da Rocha por causa da grande enchente de 1987.

              CIDADE ÁGUA CHICO CANINDÉ                                                                                                                                                                                                                    Foto-origem-desconhecida                                                                                                                                                            

         Foi depois da catástrofe que nós nos demos conta do que significam garrafas, sofás, latas, televisores, sacolas plásticas, pneus, pilhas, baterias alcalinas, carros, enfim. Uma gama de material que usamos todos os dias de forma comum e sem noção do mal que isso trás. Para a saúde em geral o alerta medico através da defesa civil era que tudo isso afetaria o estado de saúde da população na medida em que ela tivesse contato com a água porque ao hidroassassinarmos os rios poderíamos ter doenças tipo: hepatite, febre tifoide/paratifoide, cólera, disenteria amebiana, ascaridíase, esquistossomose, filariose e etc...

A sopa química que transformamos os rios pela prevalência de resíduos afeta toda a cadeia hidrobiologica, deixando o meio ambiente bastante danificado com seres despreparado biologicamente para viver nele afetando assim toda saúde do espaço hidrosociografico.

As indústrias têm o direito de fabricarem assim como deverias por um código de conduta recolher suas embalagens elas têm a logística para vender seus vasos com seus produtos, mas não tem a devida responsabilidade socioambiental que dizem que tem.

A prática fica muito aquém e o ser comum o vulgo cidadão não tem a devida noção do mal que isso lhe faz.

As normas técnicas estão escritas as leis de proteção ambientais são ótimas, mas seus cumprimentos são para marciano vê o que aliais é no que estamos transformados a terra.

A nossa cultura ainda é de não “educar” para se beneficiar na outra ponta da indústria das doenças estão os grandes laboratórios farmacêuticos. A miséria no Brasil é uma indústria muito poderosa. Primeiro criamos o mal e quando afetados vamos desenvolver uma coisa que cure o mal criado.

Por definição e uma visão sócio ECOnomica pensamos sempre na linha de quem lucra com isso era o que se ouvia nos seminários sobre resíduos sólidos tanto na CETESB - Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental- NA SVMASP Secretaria do verde e do Meio ambiente de São Paulo ou na CMSP na Cãmara Municipal de São Paulo.

Temos normas e manuais aos montes informação sobre o assunto é o que não falta, mas não temos políticas de estado para uma ação continuada de investimento na “educação”. Nos seminários encontramos sempre as mesmas pessoas, e os resíduos sólidos partes integrantes das falas e propostas de conferencias e mesas redondas vão se acumulando nos nossos rios artérias vitais para todos o sistema industrial econômico e social. Estes ficam relegados ao destino de um prometeu assoreado cada vez mais cheio de entulhos e dejetos de todas as matrizes.

Os meios de produção que gera tais resíduos que antes chamamos de bens de consumo depois de utilizados são jogados foram pois temos como política o consumo e não a conscientização.

Basta olhar a estrutura de um carro ou de um liquidificador de um televisor..., todos os bens produzidos são cada vez mais sofisticados, e frágeis senão a produção não “cresce” da forma supérflua que estamos vendo..., um ex o Brasil é um pais que desperdiça mais madeira no mundo, e destrói trocentos campos de futebol todo ano em florestas isso derne que o Europeu com sua sanha trouxe um estado uma religião e um poder judiciário pronto..., e fabrica móveis para as classe sociais mais “baixas” de restos de madeira prensada como se faltasse madeira.


         Os resíduos sólidos são ex: computadores, automóveis, televisores, aparelhos celulares, eletrodomésticos, etc. Tudo isso é produzido nos centros industriais que ficam ao redor das grandes cidades ao que chamamos de parques industriais. Mas eles só sozinho não temos as escolas domicílios a construção civil escritórios.

A água e o direito ao trabalho através da coleta seletiva na indústria da reciclagem, a este segmento dão o nome de geração de renda.

Trabalhadores que antes já faziam isso pegando lixo nas ruas. Agora o sistema econômico vendo nisso uma fonte de renda e empregando parte da mão de obra antes rejeitada pela sua desqualificação tanto do ponto e vista do mercado de trabalho como ser humanos...

Tratar de fazer uma nova política em aliança com os estados promovendo assim a reintegração socioeconômica do lixo e do ser.

A cadeia de produção funciona com este novo mercado em expansão e este novo trabalhador inserido no mercado de trabalho. (Vejam que em hipótese alguma valorizamos estes homens e mulheres como seres culturais, mas só como trabalhadores e sua grande maioria continua indo para os mesmos botecos tomar sua cachaça para aguentar à parada do outro dia e recolher o nosso lixo).

Para isso as cidades precisam de um plano diretor que leve em conta toda a logística hídrica e social – pois todo o processo precede de água para abastecer a indústria e manter vivos os trabalhadores e os novos coletores de resíduos sólidos afora isso a segurança alimentar moradia e transporte.

Um plano de ação que não leve em conta o gerenciamento da po-Ética da vida, e suas partes interligadas através da água está fadado ao que hoje estamos vendo.

Alguém lembra que tínhamos a admissão ao ginásio? Pois é a educação foi jogada no aterro sanitário do conhecimento depois do golpe militar de 64 apoiados pelos americanos tempos quentes.

Não foi quebrada só a educação como difusora de conhecimento, mas a estrutura da formação intelectual e geradora de conhecimento do país.

Onde temos uma coleta seletiva eficiente? Onde temos uma cidade que seus cidadões praticam isso?

Está na constituição que devemos ter educação ambiental nas escolas. Esta ou não está?

Meu amor meu próximo e grande amor você gosta de música? De poesia? De teatro? De artes? Gosta?

Estes resíduos sólidos podem acabar ferindo seu cérebro isso pode fazer você pensar e isso é deveras perigoso sabia?

Os rios das cidades são depósitos a céu aberto de todo tipo de resíduos sólidos, pois a maioria das nossas cidades falam em educação ambiental, mas não tem isso como norma para virar habito. Tem sim o dia da arvore o dia do meio ambiente o dia disso o dia daquilo a semana disso a semana daquilo.

A situação hidrosociologica já não aguenta mais o lixo que produziu um é jogado na cadeia é lixo humano, o outro e no aterro sanitário. Um polui o meio ambiente, o outro o ambiente social. Quer dizer politicamente um é resíduo biodegradável, mas que da um trabalho danado para a segurança publica. Os resíduos sólidos (lixo) levam décadas ou até séculos para serem decompostos.

Resíduos sólidos e elementos sociais perigosos.

       Vi seres no lixo do restaurante do outro lado da vidraça, mas eu deixei a bateria do meu mais novo celular na caixinha, um é um resíduo sólido muy perigoso outro é um resíduo social um deixa a água tóxica, ou outro eu e você precisa de água boa. O suor fedorento não tão cheiroso como o fraco do desodorante que suprime a transpiração fazendo com que a retenção de liquido possa ser danosa ao organismo.

       Bem parte da minha comida alimenta alguém..., que precisa de um alto teor calórico para viver como um molambo social e perigoso..., a bateria do meu celular, e outros bens tem uma potencialidade química que pode matar rios, mas vão ser reciclados. Já o ser revirador de latas de resíduos domésticos bem..., um pode ir até para o aterro sanitário, o outro para o cemitério..., viu tudo se recicla.

Reciclar é: Transforma o que antes eram coisas que viraram outras. O que antes era algo. Poderemos transforma em algo novo novamente. Preservar para se preservar.

Teu carro já bebeu água limpa hoje?

É camarada na idade mídia a natureza não faz media.


CHICO CANINDÉ 1


Chico Canindé

HIDROCIDADANIA PO-ÉTICA TEATRO D´SÁGUAS on Vimeo

Vídeo para hidrocidadania 2:53

https://vimeo.com › Chico Canindé › Vídeos

30 de jul de 2010

Esta oficina foi feita na quarta colônia do hospital do Juquery em Franco da Rocha com professores da ..

Hidrocidadania em São Paulo (2).flv - YouTube

Vídeo para hidrocidadania 10:00

https://www.youtube.com/watch?v=R6W2P52yU-Y

12 de jul de 2011 - Vídeo enviado por HIDROCIDADANIA

Este video é só um cadinho da ideia que esta amadurecendo para o documentário. Hdirocidadania Brasil.

Plano para privatizar a Amazônia

Em outubro de 2006 eu publiquei esse editorial.
A cada ano que passa ele fica mais atual, pois naquela época me chamavam que estava desvairando, pois eu alertava em relação ao que o grande sertanista Orlando VILLAS-BÔAS propagou antes mesmo da sua morte em 2002, onde tem um vídeo famoso que corre no youtube.
Somos sabedores das pretensões não só da Inglaterra, como hoje dos franceses, canadenses, franceses, como também os japoneses.
As lideranças indígenas que ainda escutam, venho alertando do grande golpe que estão a sofrer, onde essas ONG’s estrangeiras os fazem de marionetes incitam para que eles tenham mais ódios do atual governo, para interesses que não são mais escusos.


VILLAS-BÔAS – Paulo Celso
01 de fevereiro de 2020

GOVERNO INGLÊS DIVULGA PLANO PARA
PRIVATIZAR A AMAZÔNIA.

Fonte: Folha de São Paulo – 03/10/2006.

O governo inglês, por meio de David Miliband, secretário do Meio Ambiente britânico, divulgou na semana passada no México um plano para transformar a floresta amazônica em uma grande área privada. O anuncio foi feito em um encontro realizado na cidade de Monterrey, segundo informou o jornal “Daily Telegraph”. O evento reuniu os governos dos 20 PAÍSES MAIS POLUIDORES DO MUNDO.


A proposta inglesa, que conta com o aval do primeiro ministro Tony Blair, visa proteger a floresta, segundo Miliband. O próprio político admitiu que a idéia esta em seu estágio inicial e que será preciso discutir as questões de soberania da região com o Brasil. O plano prevê que uma grande área da Amazônia passaria a ser administrada por um consorcio internacional.


Grupos ou mesmo pessoas físicas poderiam então comprar arvores da floresta.

ONG’S
ALERTA AOS MEMBROS DE ONG’S


Precisamos separar o JOIO DO TRIGO, o que nos queremos defender?

São nossas florestas?

São os índios?

Ë a flora e fauna?


Ou será nossa Soberania

 

Pense nisto temos que conscientizar nossos cidadãos, ficarmos alertas nas políticas adotadas no governo e nos lobistas que manipulam nossos políticos.


De vez estarmos pensando no melhor para nossos filhos e netos não saberemos a dimensão que em um futuro que não sabemos quando vai acontecer, e que hoje escutamos as noticias e só achamos graça.


Ong’s muito cuidado.

Ong's são fortes sim, mais tem “ONG’S” muito mais forte que imaginamos e muitos brasileiros trabalham e tem seus pensamentos voltados para seus conceitos escusos que acreditam que são nossos amigos.


Você tem dúvida?

Então leia e reflita.


Simpósio de Genebra Suíça
Quem esteve nesta reunião e são os mandatários depois que somaram grandes somas de cifras investidas para reunião e direciona-las.

a) Lê Comitê Internacional de la Defense de I’Amazonie.
b) Inter-Amerirican Indian Istitute.
c) The International Ethnical Survival.
d) The International Cultural Survival.
e) Workgroup for indigenous Affairs.
f) The Berna-Geneve Erthnical Institute
g) E por Este Conselho Coordenador.


Comitê Externo:


A. A Amazônia total cuja maior área fica no Brasil, mas compreendendo também parte do território venezuelano, colombiano e peruano, é considerado por nós como PATRIMONIO DA HUMANIDADE. A posse dessa imensa área pelos paises mencionados é meramente circunstancial. Não só por decisão de todos os organismos presentes ao simpósio, como também por decisão filosófica de mais de mil membros que compõem os diversos conselhos de defesa dos índios e do meio ambiente.


Comitê Externo:


B.
É nosso dever defender, prevenir, impedir, lutar, insistir, convencer,enfim, esgotar todos os ecursos que devida ou indevidamente, redundem na defesa, na segurança, na preservação deste imenso território, o dos seres humanos que habitam e que são patrimônio da humanidade e não patrimônio dos paises cujos territórios, pertencentes, dizem – lhes pertencerem.


Comitê Externo:


L.
É nosso dever garantir a preservação de território da Amazônia e de seus habitantes aborígines, para seu desfruto pelas grandes civilizações européias. Cujas áreas naturais estejam reduzidas a um limite critico.


L.

Alínea “C”

Enfatizar o lado humano, sensível das comunicações, permitindo que o objetivo básico permaneça embutido no bojo da comunicação, evitando discussões em torno do tema. No caso dos países abrangidos por estas diretrizes, é preciso levar em consideração a pouca cultura de seus povos, a pouca perspicácia de seus políticos ávidos por votos que a Igreja prometera em abundancia.


L.

Alínea “E”

Educar e ensinar a ler os povos indígenas, em suas línguas maternas, incutindo-lhes coragem, determinação, audácia, valentia e até um pouco de espírito agressivo, para que aprendam a defender os seus direitos. É preciso levar em consideração que os índios destes paises são apáticos, subnutridos e preguiçosos. É preciso que eles vejam o homem branco como um inimigo permanente.

Alínea “F”

É preciso infiltrar missionários e contratados, inclusive não religiosos, em todas as nações indígenas. Aplicar o plano de base das missões que se coaduna com a presente diretriz, dentro do mesmo , a posição do homens todos setores da atividade publicas, é muito importante para viabilizar estas diretrizes.

L.

Alínea “G”

É preciso reunir as associações de antropólogos, sociologia e outras em torno do problema, que tal maneira que sempre necessitemos de assessoria tenhamos estas associações do nosso lado.

Declarações que merecem nosso repudio e alerta do governo e sociedade civil organizadas:

John Major, 1.992 então primeiro ministro da Inglaterra:

“As nações desenvolvidas devem estender o domínio da lei ao que é comum de todo ao mundo. As campanhas ecológicas internacionais que visam a limitação das soberanias nacionais da região amazônica estão deixando a fase propagandística que pode definitivamente, ensejar intervenções militares diretas sobre a região”.

Al Gore, 1.989, vice-presidente dos EUA:

“Ao contrario do que os brasileiros pensam, a Amazônia não é deles, mas de todos nós”.

Mikhail Gobarche, 1.992. Ex- ditador da extinta União Soviética:

“O Brasil deve delegar parte de seus direitos sobre a Amazônia aos organismos Internacionais competentes.”

François Miterrand, 1.989. então presidente da França.
“O Brasil precisa aceitar uma soberania relativa sobre a Amazônia.”

Grupo dos Cem. 1.989. Cidade do México.

“Só a internacionalização pode salvar a Amazônia.”


Congresso de ecologistas alemães. 1.990.
“A Amazônia deve ser intocável, pois se constitui no banco de reservas florestais da humanidade.”


Enquête:

Peço a todos internautas que façam seu login. E comente esta notícia.


O que queremos da nossa soberania?


É a soberania Nacional com nossa gerencia
em tudo que se relaciona com o Ecossistema? Isto é indiscutível.

Ou é engessamento amazônico, que nem olhar poderá, deixando na penúria 21 milhões de amazônidas (brasileiros).


Ong’s: Manifeste seu lado de preservacionista que tem no seu coração.
De que lado você está?


Internacionalização sim!
Mandando recursos. Sim! Para preservarmos nossa floresta e tudo que nela vive. Sim!
Principalmente o ser humano que aqui vive, não só os índios.
Asfaltando todas as entradas para escoamento das produções, o qual setor que valha.
Todo este poderiu externo precisa de nossos minérios, precisa de plantas medicinais, de carne e produtos agrícolas para comer, e de madeiras para alta sustentação de suas indústrias moveleiras e casas pré - fabricadas.

Que preservasionismo é este, e de grandes instituições estrangeiras com olhos no futuro como se nossas regiões tivessem poços de petróleo que poderiam ou querem furar um dia, formando um almoxarifado internacional?

Precisamos, sim, ficar de olhos abertos e de vez brigarmos entre nós mesmos, começarmos a fazer leis mais duras com esses que se dizem preocupados com a Floresta Amazônica.

Já que querem nossa riqueza natural, que venham para cá e aqui, sim, construam suas grandes indústrias dando emprego e gerando impostos na nossa pátria.

Com isto, poderão levar somente 20 % “in natura”, no que tange a madeira, ervas medicinais que só aqui encontram pedras preciosas ou minérios para manufaturarem nos seus países.

Paulo VILLAS BÔAS 6
VILLAS-BÔAS Paulo Celso
Presidente da Fundação e Expedição VILLAS-BÔAS pelo Brasil.

A ANCESTRALIDADE DA FAMÍLIA VILLAS BOAS - VILAS BOAS.

A ANCESTRALIDADE DA FAMÍLIA VILLAS BOAS - VILAS BOAS.

Por: Maria Francisca VILAS BOAS Leffer.

MARIA FRANCISCA VILAS BOAS LAFFER

Possui - Graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (1981); - Graduação em Educação Artística pela Universidade Federal do Paraná (1997); e Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Paraná (2000); Especialização em Artes Plásticas pela Faculdade de Artes do Paraná (1994); - Pedagoga e arte educadora. - Aposentada do padrão da Educação Básica pelo Estado do Paraná. Atualmente é professora adjunta da Universidade Tuiuti do Paraná atuando no Curso de Pedagogia como docente e supervisor de estágio. Nessa mesma Universidade é Supervisora de um Laboratório de Aprendizagem e Recreação, discutindo questões sobre o potencial investigativo da criança, tendo criado a metodologia: "Pedagogia Lúdica Investigativa Mediada". Discute alfabetização científica no contexto escolar, na concepção de que pesquisa se começa na educação infantil. Tem experiência em projetos interdisciplinares. Na área de artes tem estudos em alfabetização estética.

 <><><><><><><><><>

Essa apresentação foi realizada no III Encontro da Família VILLAS-BÔAS em Cuiabá no mês de setembro de 2017, foi um trabalho incansável investigativo feito pela prima Maria Francisca VILAS BOAS Leffer, que fez uma viagem a Portugal unicamente para realização dessa apresentação, o qual a Fundação VILLAS-BÔAS coloca a disposição de todos os pesquisadores e amantes dessa família que para nós VILLAS-BÔAS nos enche de orgulho por nós pertencermos a esse Clã que fez história, e continua fazendo com ilustres personagens que continuam honrando esse sobrenome.

Paulo Celso VILLAS-BÔAS
Presidente da Expedição e Fundação VILLAS-BÔAS.

<><><><><><><><><>

Início da Apresentação. (fotos acervo Profa.  Ms. Maria Francisca)

VEM COMIGO PARA PORTUGAL....... CONHECER EM BARCELOS E AIRÓ A ORIGEM DOS VILLAS- BÔAS - VILAS BOAS - Villasboas - vilasboas.
Diz a História....
Era uma vez...
Uma Família das mais antigas e ilustres de Entre Douro e Minho, no tempo do reinado D. Dinis (1270-1325).
HTTP://www.genealogia.villasboas.nom.br/genearca.html

REGIÃO VISITADA 1

Norte de Portugal

Nesse tempo se acha uma procuração dos Fidalgos de Riba Minho, e nos seus registros, uma assinatura de João Annes de Villasboas. É o primeiro homem que se tem notícia com este sobrenome. Ele é o Genearca da Família, aquele que gerou nosso sobrenome.
Também Senhor da Torre de Ayrô, ou Airó, situado a na freguesia de São Jorge de Ayrô, no termo dessa Vila de Barcelos, que é o Solar dessa Família.

EIS O LOCAL DA TORRE DE AIRÓ.... O SOLAR DOS Vilas Boas

SOLAR DE AIRÓ VILLAS BOAS 1   SOLAR DE AIRÓ VILLAS BOAS 2   SOLAR DE AIRÓ VILLAS BOAS 3

 SOLAR DE AIRÓ VILLAS BOAS 4   SOLAR DE AIRÓ VILLAS BOAS 5   SOLAR DE AIRÓ VILLAS BOAS 6

SOLAR DE AIRÓ VILLAS BOAS 8   SOLAR DE AIRÓ VILLAS BOAS 7   SOLAR DE AIRÓ VILLAS BOAS 9

SOLAR DE AIRÓ VILLAS BOAS 11   SOLAR DE AIRÓ VILLAS BOAS 10

                                         Fonte: Fotos feito por Maria Francisca Vilas Boas Leffer - Airó-Barcelos-Portugal

 MAS DE ONDE VEM A DESCENDÊNCIA DESSE SOBRENOME?

“A opinião mais seguida, e desse conforma mais, é que este apelido se deduz de um dos dois valorosos irmãos que vieram a este Reino do Estado de Florença na Toscana, um chamado D. Domin-Florentim e outro D. Fernando.”
HTTPS://pt.scribd.com/doc/135829474/gayo-vilasboas-pdf
Esses dois irmãos chegaram a este Reino para servir ao Rei D. Sancho II de Portugal (filho de D. Afonso II) – reinado (1223-1247) nas guerras contra Castela, e militando na Província de Trás-os-Montes fizeram ações de muito valor.
Sancho II era tio de D. Dinis.

GUERRA DE CASTELA VILLAS BOAS 1Guerra contra Castela (Espanha)

O Rei D. Sancho II vendo que duas Vilas haviam sido tomadas na batalha e seu povo sendo massacrado precisava mandar gente para retomá-las. Vendo isso, os dois irmãos Florentinos se oferecem a servir ao Rei pedindo gente para juntos reaver as Vilas.
“E indo com efeito sobre as ditas Vilas as tomaram, e renderam., e vindo ao Rei, lhe disseram = “- Senhor as Vilas já são vossas.” = ao que o Rei respondeu – “- Minhas não!, Por que eu vos faço mercê delas.” = e recusando os dois irmãos aceitá-las, lhe disse o Rei = - “-Aceitai que são Vilas boas" = O que foi o princípio deste apelido, ficando os dois irmãos Florentinos Senhores das ditas Vilas, e sendo depois necessário ao Rei arrasá-las, lhe deu outros bens e rendas em satisfação com jurisdição na Província de Entre Douro e Minho, onde tiveram o Castelo de Penafiel, e os Reguengos (terra dos reis) de Vilas Boas...”

RODOVIA QUE LEVA AO CASTELO 1   CASTELO PENAFIEL 1   CASTELO PENAFIEL 2

CASTELO PENAFIEL 3

                                                                                 Fonte: Fotos feito por Maria Francisca Vilas Boas Leffer. Airó-Barcelos- Portugal


 DEPOIS DA ORIGEM DO NOME - VEM A ORIGEM DAS TERRAS - DOS REGUENGOS.

A ORIGEM DA TORRE DE AIRÓ e da quinta do Solar dos Vilas Boas Região do Minho.

JOÃO ANNES DE VILLASBOAS foi o Senhor da Torre de Ayró, em São Jorge de Ayró. Fidalgo muito distinto. Isso está escrito nos registros do Rei D. Dinis I (1261-1325) – reinado (1279-1325). Filho de D. Afonso III.

Continue Lendo

O QUE É UMA PASSAGEM DE ANO? 2016 – 2017 Versão V

O QUE É UMA PASSAGEM DE ANO?

 2016 – 2017 Versão V

Todo final de ano a humanidade faz sua retrospectiva dos fatos nele acontecidos. No início de um novo ano, desejamos esperança, renascimento, otimismo e muitos votos de prosperidade e saúde para as pessoas que encontramos, para aquelas que gostamos e com as quais nos relacionamos.

Continuo afirmando que vivo o fim de ano como se fosse o meu último ano de vida, mas respirando e abrindo os olhos a cada dia. Então vejo que tenho que acreditar em um novo futuro, que preciso lutar e sonhar que não seremos abandonados por quem quer que seja. Só depende de mim, assim como também continuar informando os incautos.

Acredito nesse país. Acredito ainda em seu povo, apesar de pacífico. Porém, tudo tem limite nessa vida.

Quando me perguntam qual o meu partido ou qual político defendo ou admiro, respondo: “O meu partido é o Brasil; não respeito cartilhas.” Sou uma pessoa que acredita na magia do Papai Noel, que reverencia a chegada de Cristo que faz renascer a energia dentro da fé em um novo Brasil. E assim como Cristo no templo diante dos comerciantes, quero justiça sem anarquia, sem ódio, mas mostrando que em seu templo não há lugar para incrédulos. Assim sou eu com relação a políticos que não respeitam esse grande templo chamado Brasil: também quero a liberdade de ser respeitado, sem preconceitos de qualquer iniciativa popular ou de nações, desde que também me respeitem a livre e democrática opinião. Isso me faz transitar em meu país sem restrições, não pertencendo e não apoiando doutrinas esquizofrênicas. Isso, dentro do meu eu, chamo de Fé e assim preciso acreditar que, com os erros dos políticos, o povo invadirá o Congresso Nacional. Este, tornou-se um antro de pessoas de mau caráter, onde a passagem dos erros do executivo é abençoada pelo judiciário. O povo não aguenta mais, chegando a física e moralmente agredir seus representantes em lugares públicos, principalmente em aeroportos, onde ficam expostos, não podendo se esconder. Dessa forma o povo logo chegará dentro do Congresso Nacional e colocará todos no olho da rua. Reergueremos esse país com muita paz, com respeito ao dinheiro público e a todas as classes sociais. Amparados pela Constituição faremos a limpeza, retirando todos os safados e ladrões desse país.

Como?

MUDANÇA DE COMPORTAMENTO É A PALAVRA DE ORDEM!  É nosso dever colocar o patriotismo e nossa brasilidade acima de tudo, e mostrar ao mundo que podemos mudar esse quadro, essa vergonha nacional que escancaradamente vem acontecendo na política, suportada passivamente pelos brasileiros, até agora.

MUDANÇA DE COMPORTAMENTO

Na IV versão: O que é uma passagem de ano? -- 2015-2016 --  abordei:

O Brasil é o país mais corrupto do mundo. – Mais de 80 Bilhões desviados em corrupção por ano.

80 BILHÕES EM DESVIO PÚBLICO

Comentei também sobre a DITADURA VERMELHA no paraíso do faz de conta. Ela exige que o povo brasileiro trabalhe à exaustão cinco meses para o governo, com pesados impostos, fora os indiretos, que diretamente chegam ao governo -- quando compramos alimentos ou pagamos energia, água, telefone, e de compras em lojas ou restaurantes. Seguindo a estratégia, a ditadura vermelha empurrou e continua empurrando goela abaixo a farra do nosso dinheiro para financiar obras em outros países, para implantação do hoje fraco Foro de São Paulo e outros projetos como CEPLAC, UNASUL e assim por diante. Será que os exemplos de Cuba, Venezuela e outros países da América Latina falidos com esse modelo de socialismo imperialista, não bastam para a nação brasileira?

X4 DITADURA VERMELHA

VENEZUELA -- Nós brasileiros não queremos como espelho a VENEZUELA, não queremos mesmo! Para isso temos que valorizar as empresas nacionais e que as empresas que aqui se instalam, possam gerar emprego sem as escravaturas do capitalismo selvagem.

MANIFESTANTES VENEZUELA

Nesse ano que chega ao fim aconteceram vários fatos sociais e políticos. Vamos então resumir:

No âmbito social a Fundação VILLAS-BÔAS executou:

Em julho: A FVB participou como propositor do primeiro debate de políticas públicas para a inclusão dos sobrenomes dos indígenas no Pará em sua Carteira de Identidade, para que não sofram mais constrangimentos na esfera jurídica, na saúde e na educação.

IDENTIDADE INDÍGENA

De outubro a dezembro: A FVB deu suporte à ocupação pelos indígenas do DISEI-Pa. Pela intransigência do Ministro da Saúde, da não indicação de um indígena para a chefia desse órgão, onde documentalmente há provas de desvios de dinheiro público aonde os serviços executados (fictícios) não chegaram às comunidades indígenas. Como prova maior, nos sessenta dias de ocupação morreram sete indígenas por falta de atendimento e/ou medicamentos nas comunidades.

DISEI PAULO E OS INDÍGENAS 1

Na esfera Política:

Em meados de 2016, a PF, o MPF, e a Receita Federal tiveram indícios de que parte do dinheiro da corrupção de estatais e empreiteiras do Brasil estava sendo "lavada" por uma rede de doleiros até então desconhecida, instalada em Angola, o novo paraíso fiscal. Outros países como Nigéria, Moçambique e República Dominicana, também ficaram na mira dos investigadores.

Janeiro de 2016: o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou que o esquema de corrupção sustentado pelo PP na Petrobras havia desviado R$ 357,9 milhões dos cofres da estatal. A investigação também aconteceu na atuação do PT, PP e do PMDB no esquema. As três legendas, conforme o MPF, agiam como controladoras de áreas estratégicas da Petrobras, por meio do controle de diretorias, e beneficiárias diretas de desvios. 

Fevereiro de 2016: de acordo com o jornal El País, a Lava Jato ganhou alcance internacional com a prisão de João Santana e com a suspeita da Odebrecht ter pago propina de três milhões de dólares ao presidente do PeruOllanta Humala.

Em 29 de fevereiro: o procurador da República, Deltan Dallagnol, enviou uma manifestação à ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), defendendo que fosse mantida a investigação em curso sobre propriedades atribuídas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva dentro da Operação Lava Jato, a cargo do Ministério Público Federal no Paraná. O ofício havia sido uma resposta a um pedido feito por Lula para suspender a investigação sobre o apartamento no Guarujá e o sítio em Atibaia, que haviam envolvido construtoras investigadas no escândalo da Petrobras.

Deltan Dallagnol e LULA

Março: de acordo com a revista Isto É, o senador do PT Delcídio do Amaral disse em depoimento, em acordo de delação premiada, que Dilma e o ex-presidente Lula tentaram interferir na Operação Lava Jato.

De acordo com a revista, a então presidente havia conversado com auxiliares e nomeado ministros para tribunais superiores favoráveis à tese das defesas de acusados. 

Em 14 de março: o deputado Pedro Corrêa fechou acordo de deleção premiada.

Em 15 de março: o ministro do STF, Toeri Zavascki, homologou a delação do senador Delcídio do Amaral.

Em 17 de março:  o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e o procurador geral da Suíça, Michael Lauber, se reuniram em Berna para discutir cooperação entre os dois gabinetes com relação aos desvios na Petrobras. De acordo com comunicado da Suíça emitido no mesmo dia, os US$ 70 milhões que haviam sido congelados deveriam retornar ao Brasil. Haviam sessenta investigações que geraram o congelamento de 800 milhões de dólares.

Em entrevista à Revista Veja, Delcídio Amaral disse que a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sabiam sobre esquema de corrupção na Petrobras.

LULA E DILMA SABIAM DE TUDO CORRUPÇÃO

Delcídio, após delação premiada, revelou detalhes sobre um suposto plano para impedir que as investigações comandadas pelo juiz Sérgio Moro fossem adiante. Durante a entrevista, o senador repetiu várias vezes um "mea culpa" e disse que queria "ajudar a Justiça e a sociedade brasileira a descobrir quem são os verdadeiros vilões desta história".

Em Portugal, Dilma teria conversado informalmente com o ex-ministro da Justiça Cardoso e o ministro Lewandowski. Teori Zavascki, relator da Lava-Jato, não participou do encontro. Segundo o senador, Dilma teria tentado convencer Lewandowski a aderir, mas fracassou.

Em 19 de março: entrevista à Veja, Delcídio do Amaral afirmou que José Eduardo Cardozo havia vazado informações sobre a Operação Lava Jato na época em que era ministro da justiça para a presidente Dilma e outros interessados. Em nota, Cardozo negou as acusações e disse que iria tomar as medidas judiciais cabíveis.

Em 22 de março: desencadeou-se a "Operação Xepa" em oito estados.

Em 24 de março:  a ministra do STF, Carmen Lúcia, afirmou que a Lava Jato respeita rigorosamente a Constituição e as leis.

Em 3 de abril A Panama Papers revelou que a Mossack Fonseca havia criado offshores para pelo menos 57 indivíduos já publicamente relacionados ao esquema de corrupção originado na Petrobras. As informações eram originais, da base de dados da Mossack Fonseca, obtidas pelo jornal alemão Süddeutsche Zeitung e compartilhadas com o ICIJ.

11 de abril: por 38 votos a 27, a comissão do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff aprovou o parecer do relator, o deputado Jovair Arantes.

04 de maio: O procurador-geral da República enviou ao STF um pedido de abertura de inquérito para investigar a presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, na época ministro da justiça, por obstrução à justiça em tentativa de atrapalhar as investigações da Lava Jato, e também a nomeação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para ministro da Casa Civil em 2016. 

05 de maio: O Supremo Tribunal Federal decidiu pelo afastamento de Eduardo Cunha da Presidência da Câmara de Deputados do Brasil.

12 de maio: Dilma Rousseff é afastada da Presidência da República após votação no Senado Federal pela admissibilidade do parecer favorável ao processo de impeachment. Quem assumiu interinamente por 180 dias foi Michel Temer, vice presidente.

07 de julho: O deputado afastado Eduardo Cunha renunciou ao cargo de presidente da Câmara dos Deputados do Brasil.

14 de julho: Rodrigo Maia é eleito presidente da Câmara dos Deputados do Brasil.

31 de agosto: Dilma Rousseff  foi definitivamente afastada da Presidência da República e Michel Temer assumiu o cargo titularmente.

IMPEACHMENT DE DILMA

Em setembro: A Procuradoria Geral da República prorrogou a força-tarefa da operação até o ano seguinte.

16 de novembro: O ex-governador do Rio de JaneiroAnthony Garotinho, foi preso pela Polícia Federal, na Operação Chequinho.

Em 19 de outubro: O ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, foi preso na Lava Jato, por decisão do juiz Sérgio Moro, após Cunha haver perdido o foro privilegiado ao ser cassado pelo plenário da Câmara.

17 de novembro: O ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral Filho, foi preso pela Polícia Federal, na 37ª fase da Operação Lava Jato.

04 de dezembro: Diversas manifestações contra a corrupção ocorreram em 26 estados e no Distrito Federal, assim como também em apoio à Operação Lava Jato e às Dez Medidas contra a corrupção, do projeto original do Ministério Público Federal.

14 de dezembro: O Deputado Rogério Rosso, autor do projeto 298/2016, soltou novo golpe no Brasil, apoiado por 192 deputados, para a ABERTURA DE NOVA CONSTITUITE com um só objetivo -- mudar a atual constituição para livrar os corruptos, ladrões e safados da Lava a Jato, com toda a certeza.

PEC 298.16

Que Lula vai a pé para Curitiba, num ato simbólico, vai mesmo! Que ele vai se encontrar com a querida, em vez de dar “Tchau, querida!”, sem dúvida! E que irão acertar a cabeça da jararaca, irão, com toda certeza!

 

Contudo, teremos que maciçamente invadir o Congresso Nacional no dia 01/02 e dizer aos políticos que não somos palhaços, muito menos idiotas. Eles se esquecem de que não é o tempo que está mudando; ele já mudou! E assim faremos uma INTERVENÇÃO CÍVICA CONSTITUCIONAL NO PAÍS e não será o General Eduardo VILLAS-BÔAS que fará um discurso oposto. Ele, por si só, não segurará os militares dissidentes que farão a diferença nesse país, os quais também não aguentam mais esse imbróglio.

Tenho dito. 

Eu me amo.

E amo esse país.

Eu acredito

E não vou desistir.

Feliz 2017 para os homens e mulheres que não são covardes e nem omissos, pois a legalidade e a legitimidade dependem de nós. Isso é o que as Forças Armadas vão esperar no dia 01/02/2017.

Queremos um Brasil com políticos de direita, centro e esquerda lutando de fato pelo Brasil com água limpa,alimentos nutritivos, moradia acessível, educação personalizada, assistência médica de primeira e energia abundante e não poluente, respeito aos direitos humanos (e não aos ladrões, crianças assassinas e políticos safados!). 

Será tudo isso utopia?

Creio que não.

 

Paulo VILLAS BÔAS 6

Paulo VILLAS-BÔAS
Presidente da Expedição e Fundação VILLAS-BÔAS

A RELAÇÃO DO HOMEM COM OS ANIMAIS

A RELAÇÃO DO HOMEM COM OS ANIMAIS

MÁRCIA WAYNA KAMBEBA

Por: Márcia Wayna Kambeba - indígena da etnia Omágua/Kambeba,

geógrafa, mestra em Geografia  - poeta indígena / cantora / compositora / fotografa / palestrante de assuntos indígenas e ambiental

O homem como ser animal se diferencia dos demais animais por ser racional. Ser dotado de inteligência e sabedoria. Os povos indígenas por longos anos vêm fortalecendo sua relação com a natureza em todo seu aspecto. E a relação com os animais tem um sentido de sagrado.

 

Alguns animais são para os povos indígenas sagrados pelo que eles representam dentro da cosmologia de cada povo. Para o Kambeba; por exemplo, a preguiça é um animal que representa a sabedoria, portanto, não se pode comer a preguiça.

 

PREGUIÇA COM SUA CRIA

Preguiça com sua cria

 

O mesmo acontece com os animais que representam os clãs, dentre eles se destaca o Tucano com seu canto, a onça que chamamos de yawararetê. Na cultura indígena a onça representa a força, a agilidade em se movimentar na mata, a pintada por exemplo tem agilidade tanto na agua quanto na mata, e representa o povo Kambeba. A onça preta representa o povo Tikuna ambos do Amazonas.

 

TUCANO                 ONÇA PINTADA

                      Tucano                                                                                Onça pintada

 

Na dança e no ritual os animais que são seres sagrados e místicos são invocados, chamados e reverenciados em forma de sons e gestos que os povos indígenas fazem. A dança da garça é um exemplo, na cultura Kambeba. Outra forma de contato com os animais e sua importância está na confecção dos instrumentos musicais. O tambor por exemplo, feito com tronco de madeira que representa a vida da mata e sua força, e o coro de animal que vai revestir esse tambor de vida. Por isso o som do tambor bate igual ao pulsar do coração. Traz a força do animal que imolado deu vida e som a esse instrumento tornando-o sagrado.

 

TAMBORES INDÍGENAS

Tambores madeira e peles

 

Na saúde indígena alguns animais são utilizados na cura corporal e espiritual. Temos o veneno do sapo que em alguns rituais é bastante usado. Banha de cobra, osso de veado, a mutuca preta que cura verrugas, entre outros animais usados na cura indígena. Além dos animais que são invocados pelo pajé onde há uma metamorfose de homem em animal. Para alguns povos comer o cérebro de japiim cru faz com que a criança aprenda tudo mais rápido.

PASSÁRO JAPIIM

Japiim passáro

 

Na alimentação os indígenas não pegam mais do que precisam. Acreditam que os seres encantados da floresta e os espíritos que a protegem podem castiga-los severamente. Um desses seres é o Curupira que se ficar bravo pode fazer com que o indígena se perca na floresta, ou até o encantar.

O CURUPIRA

O curupira - pés voltados para trás

 

Mas, os povos indígenas sabem que só podem pegar o que vão consumir, em excesso tende a estragar e eles temem por suas futuras gerações. Gostam muito de porco do mato, macaco, aves, peixe, anta, entre outros animais.

As aves são de fundamental importância para os indígenas, umas servem como mensageiras, avisam se algo vai acontecer de bom ou ruim com seu canto. Suas penas servem para adornos, cocar e a forma de extrair essas penas obedecem a um cuidado especial. Alguns povos usam as fases da lua para coletar, outros juntam as penas, cortam às vezes sem sacrificar ou causar dor a essa ave. As penas dão um significado as identidades de cada povo mostram a importância que o indígena tem dentro de sua sociedade.

Com a invasão de suas terras por não indígenas a mata e os animais ficaram ameaçados.

 

desmatamento em terras indígenas

                                            Areas desmatadas e queimadas em terras indígenas

 

Então, os indígenas buscam cuidar de seu recuso porque sabem que dele depende sua subsistência e a vida de seus filhos e netos. O que se vê são pessoas caçando por puro prazer sem pensar no amanhã. Muitos ainda fazem contrabando de animais que estão em situação de extinção como no Amazonas temos o sagui de coleira. Nas aldeias os animais correm livres dentro e fora do território ou centro da aldeia, vem quando sentem fome e voltam para a mata. Alguns até chegam a dividir o leite materno das mães com as crianças numa relação de amor e reciprocidade. É a natureza cuidando de quem a cuida com amor. Nessa relação homem natureza os povos indígenas nos ajudam a compreender que somos parte desse universo natural, portanto somos responsáveis pela vida animal e vegetal. Mas, a cidade esquece-se de que também vive e respira, de que também tem vida e trata com desamor os que de irracionais são mais racionais que muitos humanos.

TEXTO: Márcia kambeba